Comparativo XRE 300 x Ténéré 250

As motos trail têm caído no gosto do brasileiro por sua versatilidade. Criadas para andar bem tanto na cidade, estrada ou trilhas, elas podem ser uma ótima opção para você que precisa pilotar durante a semana, mas não quer abrir mão de fazer um passeio divertido nos finais de semana. Mas escolher o melhor modelo nem sempre é fácil. Qual é a melhor marca? Qual a cilindrada ideal? Para quem ainda tem dúvidas, a equipe da Moto Fest preparou um comparativo entre os modelos XRE 300 da Honda e Ténéré 250 da Yamaha.   Conjunto de iluminação: O conjunto de iluminação de uma motocicleta é composto por farol e piscas. Comparando os modelos da Honda e da Yamaha é possível perceber uma maior potência e poder de iluminação da primeira em relação à segunda. Corrente: Hoje, algumas motos vêm com um equipamento chamado guia de corrente, que evita queda dessa peça e garante maior segurança na pilotagem. Entre os dois modelos analisados, apenas a XRE 300 veio equipado com essa guia. Carenagem: Observando a carenagem lateral das duas motocicletas é fácil verificar a diferença dos modelos. A XRE 300 possui maior volume, robustez e linhas precisas do que a Ténéré 250, o que confere à moto da Honda uma personalidade mais aventureira. Painel: Os dois modelos analisados possuem painel digital, porém a XRE 300 conta com maior sofisticação, já que trabalha com a tecnologia blackout e um moderno computador de bordo desenhado para aventuras. Rodas: A maior diferença dos aros dos dois modelos está no material. Enquanto os aros da Ténéré 250 são confeccionados em aço, os aros da XRE 300 são feitos em alumínio. Por ser mais leve, o materialconfere à moto da Honda maior resistência, aceleração e agilidade na pilotagem. Motor: O motor do modelo da Honda possui 25,4 cavalos contra 20,7 do modelo da Yamaha, o que garante à XRE 300 acelerações estimulantes e respostas rápidas ao giro do motor, entregando desempenho e economia. Balança: A balança traseira do modelo XRE 300 é feita em alumínio, o que deixa o conjunto mais leve e resistente. Junto com a suspensão Pro-link oferece mais conforto na pilotagem. Já o modelo Ténéré 250 é produzido em aço e utiliza suspensão monocross, tornando o conjunto mais pesado e menos confortável. Suspensão: A XRE 300 possui um garfo telescópico / 245 mm e suspensões de longo curso que aumentam o conforto e a absorção de irregularidades. A Ténéré 250 utiliza uma garfo telescópico / 220 mm e suspensões com menor capacidade para absorver irregularidades. Combustível: O consumo de combustível entre as motocicletas da Honda e Yamaha é equivalente, enquanto a XRE 300 faz 31 km/l a Ténéré 250 faz 30 km/l. No entanto, a primeira entrega muito mais força e potência do que a segunda. Freio: A XRE 300 conta com freio a disco com sistema C-ABS, que evita o travamento das rodas em frenagens mais fortes. O combinado distribui a força do freio garantindo ainda mais controle. Já a Ténéré 250 possui freio menos eficiente e manutenção mais frequente. Em um teste frenagem realizado pelo Instituto Mauá de Tecnologia, em que as motos foram de 60 km/h a 0 km/h em piso plano, limpo e seco, o modelo da Honda obteve uma vantagem de 1,6 m. Custos serviços: Calculando o preço pago pelos clientes Honda e Yamaha nas manutenções de peças das duas motocicletas, é possível perceber uma economia significativa para quem opta pela XRE 300. Tanto a troca de óleo como a de peças pode resultar em uma economia de mais de R$200,00 para quem escolhe a moto da Honda. Revisões: A XRE 300 realiza sua primeira revisão com 1.000 Km a as demais a cada 6.000 Km, gastando um total de R$1.706,00. Já a Ténéré 250 tem sua primeira revisão programada para 1.000 Km, mas as demais devem ocorrer de 5.000 em 5.000 Km, tendo como custo total R$1.857,00.